Mostrar mensagens com a etiqueta FAMÍLIA. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta FAMÍLIA. Mostrar todas as mensagens

janeiro 11, 2017

Serra da Estrela (#2) - Casa das Obras

saímos em direcção a Manteigas, aldeia que fica bem perto da Serra da Estrela. depois de 4h30m de viagem, chegámos ao destino já ao final do dia. queríamos ter saído mais cedo mas isto com crianças já se sabe, e ainda por cima estavam com o ritmo de férias, deitar tarde e acordar tarde, logo só nos fizemos à estrada depois do almoço. além disso parámos pelo caminho, para comer e esticar as pernas, fomos sem pressas e a aproveitar a viagem, enquanto eles tentavam a todo o custo desvendar para onde íamos. o ideal teria sido chegar mais cedo para podermos explorar melhor aquela zona, uma vez que íamos só por duas noites! mas fica para uma próxima visita.
então, chegámos a Manteigas já com o sol posto, mas ainda com aquela luz alaranjada no céu. pela estrada começou a sentir-se o cheiro a queimado, dos madeiros que ardem nas ruas, típico no norte do nosso lindo País. o Rodrigo não parava de perguntar onde estávamos, que montanhas eram aquelas, mas sem ter noção realmente de onde estava. por momentos até perguntou se também era de noite na nossa casa, lá no nosso País. (quatro horas e meia de viagem para uma criança pode dar para atravessar o Mundo!).
com a ajuda da "senhora que não se cala" (GPS) lá fomos ao encontro da nossa Casa, pelo meio de todas as outras casinhas de pedra, dos enfeites de Natal e das poucas pessoas que se viam na rua.








e eis que encontrámos a Casa das Obras. é uma casa centenária, da família da simpática proprietária, que abriu portas há 12 anos, depois de ter sido inteiramente restaurada. as paredes transpiram história com quadros e peças originais, que depois de um incêndio ficaram quase irreconhecíveis! o nome Casa das Obras não é propriamente apelativo, por isso tive curiosidade em perguntar sobre a sua história. logo quando chegámos senti-me tão em casa, literalmente, que a minha vontade foi prolongar a estadia. os miúdos andavam encantados pelo "castelo" fora e muito contentes por estarmos ali. eles adoram quando vamos de férias, custa-lhes um pouco a viagem, mas gostam muito de conhecer outros sítios e deliram com hotéis! (quem não gosta?)  à noite diverti-mo-nos na sala de jogos e antes de nos deitarmos bebíamos um chá e bolachas na sala de tv. impossível não nos sentirmos bem recebidos.




é certo e sabido que no norte se come bem, e aqui, os pequenos almoços não foram excepção. muita variedade, queijos, compotas, fruta, cereais, e uns bolinhos caseiros... huuummm, de-li-ci-o-sos!! (aquele bolinho que lembra o da nossa avó, sabem? esse!) - não tenho uma foto de fazer crescer água na boca porque me preocupei mais em comer (risos) sorry! 



gosto muito deste tipo de alojamento, mais pequeno, familiar, com um atendimento mais personalizado. é como estarmos em casa, só que não :) recomendo! quando forem para os lados da Serra da Estrela, fiquem na simpática aldeia de Manteigas e procurem a Casa das Obras. *

ah, e sempre que puderem, vão para fora cá dentro porque temos um País lindo!
no próximo post mostro mais!!




Podem seguir-nos também no Instagram.








Kiss,

Sofia**




* post sem qualquer patrocínio. é só porque gostei mesmo muito! ;)










Serra da Estrela (#1)

Como prometido, hoje venho falar das nossas férias de inverno e por onde andámos nestes dias de folga. 
há muito tempo que o Rodrigo pedia para ver neve. muito mesmo. chegou ao cúmulo de dizer a toda a gente que ia passar o ano novo a Nova Iorque porque lá há neve! (não sei onde vai ele buscar estas ideias... ;). o que é certo é que andávamos também com vontade de tirar uns dias só os quatro, já que o verão soube-nos a pouco. eu sou pessoa que gosta do inverno, acho-o romântico, apela ao aconchego, ao mimo, só dura é tempo demais, (mas não se pode ter tudo!) e daí que destinos de frio e neve atraem-me! mas vamos ao que interessa, o nosso destino: a maravilhosa Serra da Estrela!








o Rodrigo explorou cada cantinho da Serra.

 e o Duarte custou a manter-se de pé :)




claro que eles não resistiram a provar a neve! (um bocadinho para o gelado, não?!)





ele fez-me a surpresa no Natal, mas para os miúdos foi segredo total até estarmos a subir a Serra. quando o Rodrigo viu neve a primeira vez, ainda estávamos na estrada, a cara dele quando percebeu onde estava... é inexplicável. o brilho nos olhos, a emoção, não parava de dizer obrigado! (é tão bom quando eles sabem agradecer, não é?)

chegámos a meio da manhã e estava lá muita gente mas nada de confusões. muito agasalhados, mas sem calçado adequado (!), lá andámos com cuidado para ver se não nos espalhávamos... mas claro que de vez em quando alguém ia ao chão :)) não havia aquela neve abundante e fofa como vemos nos filmes, mas deu para atirarmos umas bolas uns aos outros e escorregar nos trenós. uns amigos foram ter connosco e foi muito divertido por a conversa em dia naquele cenário de sonho. 
a paisagem é de tirar a respiração, o dia estava lindo e não sentimos aquele frio desagradável. a proprietária da Casa onde ficámos disse que nesta altura costumam estar menos 3/ 4 ºC, mas que muitas vezes chove e não dá para subir a Serra. o termómetro rondava os 8ºC e ainda bem que estava este dia fantástico.

ficámos instalados em Manteigas, uma aldeia muito acolhedora, e em breve conto tudo sobre a estadia, e dou algumas dicas.

e por aí, se quiserem partilhar as vossas férias de inverno... adoraria saber tudo!




podem acompanhar-nos no Instagram!






um dia bom!


Sofia**














janeiro 06, 2017

para pensar...






por estes dias, as maiores disputas entre eles são as do colo. o pequeno quer colo logo o grande diz que também quer, que é injusto porque nunca anda ao colo ou às cavalitas, que o pequeno é que ganha tudo... patati-patatá! pouco lhes interessa que tenham idade para andar a pé e acima de tudo, peso e altura que nos dão cabo das costas, a nós pais. mas enfim, no outro dia, numa destas trocas de palavras, embuída pelo ambiente de fim de ano/ano novo, lá lhe cedi o meu transporte, neste caso cavalitas. e devo dizer que às cavalitas eles ficam ligeiramente mais leves, desde que não nos apertem o pescoço, corre tudo bem. 
ontem ele voltou a pedir colo, cá em casa. era hora de dormir, estávamos na rotina do vestir o pijama-lavar os dentes-deitar, e de uma divisão para a outra dei-lhe colo. e ele agarrou-se a mim. mas agarrado mesmo, ao meu pescoço, e com um grande sorriso disse:


- vês mãe, tu ainda podes comigo ao colo!!
- sim, posso, mas já és um bocado pesado e grande para colo.
- sim, mas ainda consegues! e o teu colinho é tão bom... gosto tanto! aproveita mãe, que qualquer dia já não me tens assim!





gluuup! engoli em seco e agarrei-me a ele. a ele e aquele momento. e é verdade mesmo, qualquer dia, e já não deve faltar muito, não vou conseguir andar com ele agarradinho a mim. não só por estar pesado e alto, e me dar cabo das costas, mas porque ele já não vai querer (naturalmente). e deu-me que pensar, esta dualidade tão grande de ser mãe: o orgulho e alegria de ver um filho crescer e a tristeza desse crescimento os levar para longe de nós... ou pelo menos, para longe do nosso colo!







Sofia**






para rir...






na noite de Natal, os manos (leia-se, os meus filhos) juntaram-se a ver um filme de animação, o Big Hero 6. cada um na sua poltrona lá estiveram entretidos. mas estava  a fazer-me alguma confusão a forma como o Duarte estava sentado, nada confortável, chegado para a frente um pouco torto até. e volta e meia lá lhe dizia: chega-te para trás filho! mas não queres pôr-te mais para trás Duarte? encosta-te, Duarte! e ele olhava para mim, encolhia os ombros e voltava para a tv... mas às tantas, farto de eu o estar a chatear, vira-se e diz:

- Está bem!! Então, onde é que está o comando??
- O comando?! (eu sem perceber...)
- Sim, o comando para eu pôr o filme para trás! 



Ahahah, o que nós nos rimos. eu preocupada que ele estivesse mal sentado e ele a pensar que raio a minha mãe quer que eu ponha o filme para trás... logo agora que eu estava aqui tão bem!

Deu para rir um bocadinho, o que é inevitável, quando se tem crianças!!







Sofia**












dezembro 13, 2016

por estes dias...




a nossa casa já recebeu o Natal. mais propriamente no dia 25 de Novembro. eles pediram e eu não resisti a desencantar a árvore, as bolinhas e por luzinhas a piscar por todo o lado. a casa fica mais acolhedora, mais bonita. é incrível como Natal rima com inverno, que rima com panquecas, que rima com chuva, sofá e filmes.
não tendo um calendário de advento material, temos criado as nossas actividades alusivas à época. recebemos o Pai Natal na nossa cidade, enfeitámos a nossa árvore, o Rodrigo quis comprar uma flor do Natal para cuidar, fiz uns arranjos para a casa, visitámos a Aldeia do Natal aqui ao lado, fomos ao mercado escolher fruta e ao cinema ver a VAIANA . adorámos!! um filme cheio de esperança, muito bem feito, com personagens interessantes e um cenário que dá vontade de pegarmos nas malas e fugir para lá de tão real que é! também queremos ir patinar no gelo, quero dizer, no Fórum! - se bem que na neve verdadeira calhava bem! e temos muito mais programado, mas sem dia certo, sem pressões de calendário.
celebrámos o nosso amor no dia 8. onze anos de casados!! bodas de aço, dizem! (e este ano foi mesmo à prova de bala!). ao contrário do ano passado tivemos a companhia deles. foi um dia calmo mas feliz e com os miúdos todos contentes por os pais terem casado há 30 anos!! (ahah, foi o que o Rodrigo disse na escola!!). kids...
agora ando com o pensamento nas prendas que ainda me faltam... gostava de fugir das lojas nesta altura, mas não há como evitar. ainda tenho algumas coisas para comprar e a comparação preço/qualidade/será que vai gostar/utilidade é sempre uma coisa morosa de se fazer sobretudo nesta altura em que não se consegue andar nos shoppings quanto mais pensar! estou a fazer a minha agenda para 2017 (post para breve) e uma das páginas de Novembro vai ser destinada à lista de Natal... com toda a certeza!

o ano está quase no fim. as férias estão à porta, a festa de Natal do pequeno é já na sexta, a viagem para casa dos avós em breve, e os dias à volta da mesa a desfrutar do tempo e de nós. adoro esta época! 


e vocês, também são fãs do Natal?









Boas festas!


Sofia**








dezembro 02, 2016

com ou sem Calendário do Advento...




tenho alguns calendários do advento guardados na minha galeria do Pinterest mas ainda não foi este ano que elaborei um. gostava de ter a ajuda deles e que tivessem mais consciência do que se trata. mas nem por isso deixamos de ter actividades em família, nesta época como em outras, só não temos dias marcados.
assim, para quem quiser fazer um calendário propriamente dito ou apenas ter algumas dicas do que fazer com os miúdos nas férias, deixo-vos algumas ideias do que funciona connosco:



1. decorar a árvore de Natal.

2. fazer uma fornada de bolachas, de preferência com formas alusivas à época (para vocês ou para oferecerem a alguém).

3. ir ao cinema. nesta altura há sempre filmes super giros que apelam ao espírito natalício.

4. fazer algum elemento decorativo para a casa ou, em especial, para o quarto deles

5. rever as fotografias tiradas ao longo do ano.

6. participar numa acção solidária (no ano passado participámos no movimento Heat the Street, e o Rodrigo ficou muito sensibilizado por haver meninos sem roupa para vestir!).

7. ensinar-lhes canções de Natal, ou pedir-lhes que nos ensinem as que aprendem na escola.

8. apanhar pinhas para a lareira dos avós (ou para a vossa, caso tenham).

9. passear para ver as iluminações das ruas.

10. contar-lhes uma história sobre o Natal.

11. façam um bolo e inventem um nome só vosso.

12. dar um cheirinho especial à casa.

13. fazer embrulhos com carinho. (eles acreditam no Pai Natal, mas também sabem que compramos algumas prendas para aqueles que mais gostamos... e um embrulho original fica sempre bem!)

...

.
.
.
.



estas são só algumas ideias, podem e devem sempre adaptá-las à vossa família e às vossas preferências. o importante é criarem rituais que promovam o tempo de qualidade juntos, que nesta altura do ano, se propicia ainda mais.










Boas festas!


Sofia**











novembro 30, 2016

Rodrigo, 6 anos... e seis meses!





ontem quando te fui buscar à escola uma árvore falou comigo. Mãe! ela disse. e nisto apareceste tu. ontem não foi um dia bom para ti, percebi-o nas primeiras palavras e mais tarde desvendaste o porquê. 
queria dizer-te que foi único, que não se vão repetir os dias em que queremos fugir para os braços dos pais ou refugiar-nos num ecran, que os meninos chatos ou os momentos menos divertidos são raríssimos, mas não te quero mentir. 
seis meses depois, continuo com estas dúvidas que, desconfio, me irão acompanhar pela vida fora. seis meses depois cresceste ainda mais, em tamanho e perspicácia, em desembaraço e maturidade. estás tão crescido... cada vez gosto mais de ti, reguila.

vão existir sempre dias mais chatos, colegas menos divertidos, cenas que te vão dar a volta à cabeça, é mesmo assim e não é só contigo. quando isso acontecer, dá asas à imaginação, ouve o teu coração, mostra o teu lado corajoso, sem medos e enfrenta. tudo e todos. tu consegues. e sabes que no final de mais um dia, estaremos sempre aqui para te abraçar, naquele aconchego que te faz saber que o mundo é um lugar seguro.






um dia bom meu amor!


mãe






novembro 25, 2016

3 anos e 9 meses






Duarte,

a tua cor preferida é azul. nos pratos da refeição, nas camisolas e casacos, o teu cão (imaginário) azul, o Chase, da Patrulha, é o teu preferido porque se veste da cor céu trovoada, e a equipa que tem que ganhar sempre... é a azul! (lindo da mãe) cor bonita esta que escolheste para adorar. o céu e o mar são azuis, sabes, e são sinal de vida, natureza, plenitude. e pleno é o teu sorriso, aberto, a transpirar felicidade. gostas de abraços. abraças o teu herói a quem chamas carinhosamente de maninho e és quem mais requisita os abracinhos de grupo cá em casa. 
gosto dos teus beijos melosos e derreto-me com o teu olhar envergonhado. ainda ontem, quando te fui buscar à escola e não saíste sem dar um beijinho de despedida à Alice, a tua nova amiga do coração, foi tão giro. não fosse a precocidade do acontecimento, quase que podia dizer que estás mesmo apaixonado!
após grande insistência da nossa parte, parece que percebeste finalmente, o conceito das refeições em família, de tal forma que és tu quem já repreende quando alguém está em falta à mesa. e falas, falas, falas... às vezes não se aguenta! a não ser quando te sais com estes tesourinhos:

"Na minha escola há um baú com um paCaCaio!"



três anos e nove meses. olho para ti ainda como um bebé, mas sabendo bem que estás a crescer, rápido demais, para o tanto que ainda gosto de te embalar.





te amo,

mãe

















novembro 04, 2016

#collectmomentsnotthings










no último fim de semana, voltámos a casa. cansados mas empurrados pela vontade de celebrar com o resto da família uma etapa boa, uma prova superada. foram 24 horas, uma corrida. queríamos regressar ao nosso ninho, cedo, a tempo de dar banho aos miúdos, deitá-los na sua hora, porque no dia seguinte a escola esperava pelo mais velho.
mas calhou a hora de saída coincidir com o por do sol, mesmo ali, perto daquelas praias fantásticas. o sol a deitar-se no horizonte, aquelas cores intensas, a temperatura amena, foi impossível resistir ao convite da natureza para aproveitarmos aquele momento. parámos o carro, já não ficava cedo, mas eram só cinco minutos. pés descalços, calças arregaçadas, e corridas na areia. a água fria e salgada a chamar para um pezinho de dança, aquela sensação boa de liberdade, o ar fresco mas que conforta e nos eleva a alma, o universo a dizer-nos que vai dar tudo certo... estamos juntos.
aquele abraço...





há convites que não se recusam. parar, ignorar as horas, as obrigações... são as excepções que ditam as regras. registar estes momentos na nossa memória, nos corações deles... não se esquece mais e conta para sempre.









Bom fim de semana!

Sofia**





a escola... já pararam para pensar?! *

cada vez mais ouvimos falar sobre a escola. a carga horária absurda que têm as nossas crianças, a enorme quantidade de trabalhos que trazem para casa, a falta de tempo que têm para brincar, para estarem ao ar livre, em grupo, com os seus amigos. partilham-se textos de opinião, somam-se os livros dos especialistas, assistem-se a programas sobre o assunto... mas, e que efeito tem tudo isto? será que são só partilhas automáticas no intervalo do café, ou por trás de cada like existe efectivamente uma reflexão sobre este assunto?




eu tenho dois rapazes, e não sei se por defeito (ou feitio) de género, eles precisam de actividade física, correr, saltar, subir, escalar. já aqui disse uma vez que, o que o meu filho mais adora na sua nova escola é a fileira de árvores que se entretém a subir nos escassos 30 minutos que tem para brincar ao longo de sete horas de trabalho!? quando o vou buscar tento sempre arranjar um espaço no nosso tempo que dê para ele gastar a energia que traz acumulada. vamos ao parque,  deixamos o carro em casa antes de apanhar o mano, e duas vezes por semana tem os treinos de basquete que é do melhor que pode haver em diversos aspectos (noutro post falarei disso). 

sete horas de trabalho!! crianças com 6 anos!! já pararam para pensar?? quanto tempo estão vocês, sentados nos vossos empregos, realmente concentrados no que estão a fazer? quantas vezes param, ao longo do dia, para falar com a colega, ir tomar café ou espreitar o facebook?? e quantos anos têm? já pararam para pensar? 
e depois da escola? é que para além das sete horas, quase em exclusivo na sala de aula, a grande maioria das nossas crianças não tem outra hipótese senão ir para os OTL (ocupação de tempos livres), que é o mesmo que dizer que vão ser enfiados noutra sala (de estudo), fechados, sentados, muitas vezes a fazerem os intermináveis trabalhos de casa! ora, das 9h ás 19h... é fazer as contas! seis, sete, oito, nove anos...

já vamos em dois meses de aulas, o Rodrigo está no primeiro ano, e à semelhança do que já se passava na pré-escola (que agora é, infelizmente, um ensaio rigoroso do ensino básico) não está entusiasmado com a aprendizagem. ele vai e faz, mas o melhor que lhe podemos dizer é que amanhã é fim de semana, feriado, férias... os trabalhos de casa, que ainda não são muitos mas que lhe ocupam tempo precioso de brincadeira, são feitos a despachar porque o relógio corre "e eu quero ir brincar, mãe!!"

por aí não sei, mas este é um assunto na ordem do dia cá em casa, é algo que nos preocupa porque temos consciência que irá afectar os nossos filhos (sobrinhos, primos, filhos de amigos...) em grande escala nas mais diversas áreas da sua vida. as crianças aprendem as regras da sociedade nos recreios da escola, as crianças precisam de saltar e pular e de fazerem jogos para gastarem energia, saberem lidar uns com os outros, aprenderem a resolver conflitos. as nossas crianças precisam de um sistema de ensino apelativo, criativo, que lhes suscite a vontade de aprender mais e mais... 
mas enquanto nós PAIS, tios, primos, avós, PROFESSORES, partilharmos apenas nos chats ou nas conversas de café as nossas preocupações e ideias de mudança, e não fizermos nada que efectivamente possa MUDAR alguma coisa, só podemos contar com uma próxima geração acomodada, triste, e sem rumo... sem exagero.




Se vos interessar este tema, eis algumas leituras e programa interessantes:







* ah, e para quem possa ler isto e pensar "E no nosso tempo, também era assim!!", não era, pensem lá bem, não era!







Sofia**









outubro 28, 2016

#coisasboasacontecemapessoasboas*

temos que acreditar que se fazemos o bem, o universo de alguma forma nos vai retribuir. temos que acreditar em nós, nos outros, no que nos rodeia, porque só acreditando nos movemos e somos capazes de mover o mundo. 









estas fotografias foram tiradas na semana passada. descemos os quatro à Baixa da cidade, o pai tinha um compromisso e nós acompanhámos tentando aproveitar os poucos momentos de lazer que temos tido juntos nos últimos tempos. por instantes, saímos do sitio onde estávamos e reparámos no pôr do sol e corremos para a marina, eu e eles, a rir, como se nunca tivéssemos assistido a este momento. engraçado que o Rodrigo tinha levado a máquina dele e pegou nela quase com a mesma velocidade com que tirei o meu telemóvel. ali ficámos a contemplar, a brincar, a aproveitar aquele momento. estava um céu de cortar a respiração (sem qualquer filtro)... depois chegou o pai e trazia uma boa noticia. chamem-me louca mas eu achei que tinha tudo a ver!



por vezes, há períodos na vida muito desgastantes, alturas em que colocamos em causa as escolhas que fizemos, ponderamos mudar tudo, atirar tudo ao ar e saltar para outra dimensão. estamos cansados, fartos de tudo e todos, parece que o mundo conspira contra nós. vamos buscar forças, sem saber bem onde, respiramos fundo, uma e outra vez, e acreditamos, acreditamos que tem que dar certo, trabalhamos, no meio de tudo isto trabalhamos, mas sempre a acreditar.
e um dia, as nuvens desviam-se, o vento sopra a favor e as boas noticias chegam. e os elogios, o reconhecimento, as palavras felizes fazem-se ouvir. o peso vai embora, endireitamos as costas, suspiramos e dizemos para dentro: valeu a pena!






* e um dia, eles vão saber, que vale a pena acreditar! eu acreditei sempre... lov-u!

















outubro 07, 2016

dia do sorriso...

vais buscar o mais velho à escola e numa de momento-filho-único, convidas o miúdo para lanchar na baixa. conversam sobre o dia, enquanto comem com gula os croissants deliciosos e fazem planos para o resto da tarde. tarde boa esta de outono.
apanham o mais novo em modo passeio e caminham até ao parque. eles brincam, tu tiras fotografias. o fim de tarde perfeito!
ele liga, diz que vai chegar tarde para jantar e sugere piza! olha que bom, pensas, podíamos fazer a piza juntos! combinas com os pequenos e lá vão ao super mais próximo fazer as compras do que falta. um quer flores para enfeitar a casa, outro uma abóbora para o Halloweeen. acenas que pode ser, afinal, não são uns anjos?!
de seguida, devem ter sido picados por algum bicho que eu não vi... desatam a correr pelos corredores, passam entre um suporte publicitário e quase o deixam cair. chamo a atenção, uma, duas, três vezes... estão surdos?? o mais velho quer pegar na abóbora, e tem a brilhante ideia de carregar com ela na cabeça... desequilibra-se e cai sobre a estante dos bolos secos, abrem-se caixas... o pequeno come do chão! a sério??
acabou-se a abóbora! e lá vai ele colocá-la no sítio. chegamos á caixa, não sem outras peripécias pelo meio, e eis que o filho crescido (!) derrama a caixa dos oregãos, há folhas secas a aromatizar todo o tapete rolante... e todo um mundo a olhar para esta mãe que não dá conta deles... ou não!?

mas, pensa positivo, há motivos para sorrir... eles são crianças saudáveis!...

estes dias...

Outubro chegou de mansinho sem deixar ir embora o verão. e é tão bom ainda sentir calor, poder aproveitar os passeios na rua, as idas ao parque ou até à praia. neste feriado (bem vindo de volta!) não chegámos a molhar os pés no mar, mas soube-nos a verão o passeio que demos junto à ria. os miúdos de bicicleta, calções e t-shirt, e gelados para o lanche.
algumas contas que sigo no instagram, já mostram casacos e gorros, devido ao frio que se faz sentir no norte da Europa. tenho uma amiga que vive no Luxemburgo e que diz que por lá o tempo está ameno... 8ºC!! 
e é nestas alturas que tomamos consciência do bom que é viver em Portugal!...




o mote deste fim de semana: aproveitar o bom tempo enquanto dura!!


Sofia**









setembro 26, 2016

Rodrigo vai à escola!




primeira semana no primeiro ano.... o que dizer?

nunca foste miúdo de gostar de escola. mesmo para o infantário ias sempre meio contrariado apesar de gostares de lá estar, brincares com os teus amigos e seres acarinhado por todos. no último dia no jardim de infância, nas lágrimas que te lavaram a cara, percebi como afinal foste feliz ali.
agora estamos no mesmo registo, acordas de manhã cheio de dores de barriga, pedes colo e mimo como se tivesses metade da idade que tens. respondo a todos os teus pedidos, salientando sempre com firmeza de que nenhuma dor de barriga te salvará de ires para onde estão todas as crianças de seis anos que têm a oportunidade de poder aprender. um dia, vais ler livros incríveis, vais ter o gostinho de somar o teu próprio dinheiro e o que ainda te é desconhecido passará a ser familiar. vais jogar, conhecer novos amigos, vais brincar e subir todas as árvores que conseguires. aliás, sossega-me esse teu sorriso na hora da saída e o ar maroto com que contabilizas as árvores conquistadas e me contas tudo em tom de confidência!
aqui entre nós, acho que vais ser um miúdo aplicadinho, só para não teres uma nódoa diante da professora, mas sempre ansioso que te libertem da sala para poderes explorar o mundo à tua vontade.

é como te digo, só desejo que todos os teus dias sejam felizes e que todas as experiências te ajudem a a traçar objectivos para que um dia mais tarde, quando as contas já forem tuas, encontres o teu caminho... feliz!





mãe


















setembro 21, 2016

sobre este verão, quero guardar....








. a possibilidade de poder estar com vocês;
. a facilidade com que interagem e brincam com miúdos e graúdos.

Duarte:
. os teus abraços apertados;
. a tua convicção ao deitar a chucha fora (para sempre);
. o vigoroso hino nacional cantado por ti ("ás águias, ás águias....)
 a tua decisão (surpreendente) em deixar a fralda da noite;
. a tua alegria ao saltar sem medos para a água;


Rodrigo:
. as tuas declarações (fugidias) de amor;
. a tua emotiva despedida da tua escola de sempre;
. nós a dançarmos o "tá tranquilo, tá favorável" enquanto celebrávamos a vitória no campeonato europeu de futebol!
. o orgulho ao aprenderes dar as primeiras braçadas fora de pé e a mergulhar até ao fundo da piscina.




. a vossa felicidade (e nossa) nas nossas primeiras férias em campismo,
. o nosso jantar a dois, brindado com um por do sol magnifico.