outubro 16, 2018

o amor em (34) semanas...

nesta altura já só olho para a meta. o cansaço apodera-se de mim, vejo e revejo o que ainda falta fazer para receber a nossa menina, para não ter muito com que me preocupar depois, no imediato, quando forem três a pedir atenção e mimo. as noites já são difíceis, a ciática dá cabo de mim, mas de resto sinto-me bem, ansiosa para conhecer a minha bebé!




é a minha terceira (e última) gravidez. tenho registo de todas. fotografias que se transformaram em álbuns, palavras que resultaram em diários. aqui e em papel, com a minha letra, com algumas frases mais que ficam só para cada um deles, um dia que as leiam.
ás vezes perguntam-me como era quando estavam na minha barriga e eu recorro ás imagens, e lembro-me de cada uma delas para lhes contar um pouco da sua história.
por isso digo: não se inibam de registar as diferentes fases da gravidez. mesmo que agora só encontrem defeitos, daqui a muitos anos vão com certeza achar que afinal estavam fantásticas e vão ter imagens bonitas para contar um pouco da história dos vossos filhos!




Sofia**






outubro 04, 2018

ainda vamos a tempo de falar das férias de verão??

ao contrário do ano passado, que viajámos durante dois dias para chegarmos ao nosso destino (maravilhoso) de férias, este ano decidimos ficar por perto. achámos que o final do segundo trimestre de gravidez não combinava com grandes viagens e grandes aventuras e optámos finalmente por "explorar" a costa vicentina.
digo finalmente porque tanto eu como o R. crescemos na costa, conhecemos bem algumas praias, esta é uma zona maravilhosa que nos é bem familiar.  apesar disso, nunca passámos realmente férias nestas praias lindas, por comodismo acabávamos por ficar sempre em casa (Sines, Porto Côvo) ou se era para sair resolvíamos ir para perto de nuestros hermanos. mas a verdade é que a beleza das nossas praias é única e a qualidade da nossa comida é sem sombra de dúvidas melhor!











depois de irmos buscar os miúdos aos avós e de passarmos alguns dias com a família, descemos um pouquinho e parámos na Zambujeira do Mar,.
tivemos muita sorte com o tempo, meados de Agosto altura em que houve aquela vaga de calor que serviu para que na costa vicentina não se morresse de calor mas também não foi necessário andar sempre de casaco atrás (como é costume).
e ainda bem que ficámos por aqui. fomos á praia de Odeceixe que é linda de morrer, mas com uma grande descida... o que significa uma maior subida, o que me deixou um bocado cansada! redescobrimos depois a praia do Carvalhal, com bons acessos, grande areal e com ondas suficientes para o Rodrigo praticar skimming. acabámos por ir para lá nos dias seguintes e quando demos conta o nosso surfer boy já dava aulas a uma série de miúdos que se juntavam a ele para experimentar a prancha e pedir dicas para começarem.
a temperatura da água também estava aceitável e apesar da constante bandeira amarela conseguimos tomar sempre banho.

éramos sempre os últimos a sair da praia (por volta das 21h!!) porque somos grandes fãs do por do sol, momento mágico e único quando presenciado na praia. a esta hora a água ficava ainda melhor e convidava sempre a um último mergulho!








ficámos "hospedados" no Zmar, mais propriamente na nossa tenda! (achei que se já dormia mal na cama porque não dormir mal no colchão insuflável?! e a verdade é que não foi pior!)
divertimo-nos no Zmar, os miúdos fizeram amigos, e tentámos intercalar períodos de praia com piscina. a piscina de 100m é realmente fantástica, e mesmo estando muita gente nunca nos sentimos "encurralados". o parque para crianças tem espirito de aventura e os meus rapazes adoraram! também existem espectáculos á noite, e actividades durante o dia para quem quiser explorar o parque, descobrir novas actividades ou simplesmente divertir-se!
a limpeza dos espaços comuns é boa, na zona das piscinas, mas na zona dos balneários deveria ser melhor, bem como a iluminação das ruas, praticamente inexistente.


de uma maneira geral passámos uns dias maravilhosos no nosso país, e tão perto de casa! estes dias em que estamos só nós, sem horários, nem coisas chatas e rotineiras para fazer são sempre a melhor fase do ano. claro que há sempre uma discussão ou outra, irmãos que se chateiam, pais que repreendem, mas no fim o saldo é muito positivo e, quando acaba, começamos logo a olhar para o calendário á procura de uma hipótese para escaparmos outra vez!




e por aí, que tal de férias de verão? 



Sofia**


P.S.: se quiserem podem espreitar as nossas últimas férias e outros passeios AQUI! ;)






setembro 27, 2018

2016, o álbum!
















tento fazer sempre um álbum por ano, com as nossas melhores fotos, os melhores momentos, o que queremos recordar, o que não queremos mesmo esquecer. por norma, aproveito o final  do ano em que há sempre promoções e consigo fazer dois álbuns pelo preço de um.
dá-me sempre imenso gozo escolher, passear-me pelas fotos, relembrar quando e onde estivemos e a fazer o quê. por vezes, até consigo lembrar-me de alguma coisa mais caricata que tenha acontecido. 

também guardo sempre algumas páginas para fotos do Instagram, que muitas vezes traduzem momentos flash que me trazem muitas emoções. estou a terminar o álbum de 2016, um ano que não foi muito fácil, mas que teve muitos bons momentos.  escolhi estas fotos do IG, o Rodrigo com seis anos e o Duarte com três, tão pequeninos, parece que foi há uma eternidade... não deixem mesmo de passar algumas das milhares de fotos que ficam esquecidas no disco rígido para o papel. vale mesmo a pena rever as expressões, as experiências vividas, e mais que tudo, contar-lhes as histórias deles, com imagens reais!


Sofia**



P.S.: também podem querer ler alguns dos nossos posts aqui! ;)





setembro 17, 2018

o amor em (30) semanas...






"Os olhos verdes do pai, os caracóis do mano mais velho, o sorriso do mano do meio, linda como a mãe e rebelde como a Brave!"

É assim que eles vão imaginando a mana. Eu , só consigo desejar que venha perfeita e com saúde. O resto nós tratamos!













setembro 05, 2018

o problema dos psicólogos...

hoje enquanto passeava os olhos pelo facebook vi, em letras garrafais, uma publicação com uma frase de um psicólogo (que por acaso não admiro!) e que tem uma rúbrica frequente na tv: "as crianças têm que ser contrariadas, temos que lhes dizer que não!"



ora, não que eu discorde, claro que não podemos nem devemos dizer que sim a tudo às criaturinhas cá (aí) de casa, mas o problema é o que se retira destas publicações. basta lermos alguns comentários para percebermos que a maioria das pessoas não lê o artigo completo, ataca ou defende o assunto consoante o que lhe dá mais jeito, o que acha mais correcto fazer. logo em seguida podemos dar de caras com outra frase a negrito, de outro psicólogo/a a defender que devemos dizer sim mais vezes aos nossos filhos, que o não pode destruir-lhes a auto-estima... e mais uma vez, poucos vão ler o conteúdo. e enquanto uns defendem a sua opinião na caixa de comentários, outros (muitos) ficam a remoer os seus sentimentos de culpa, ora porque estão sempre a dizer que não ora porque estão a destruir a auto estima dos filhos, os seus bens mais adorados. a confusão pode dar lugar à incoerência, ou até ao a um encolher de ombros, porque assim como assim, vão estar sempre a errar.

nesta coisa da parentalidade há que ter muito bom senso. sim, a psicologia é uma óptima aliada na educação e desenvolvimento da criança, sim há profissionais muito bons e com boas dicas para orientar quem se sentir mais perdido, MAS, há que saber filtrar a informação (que hoje em dia é exagerada) e saber seguir o instinto de mãe (e pai)! ler apenas as letras gordas pode levar a muitos desenganos, a culpas desnecessárias, a contradições que só colocam mais stress nesta função maravilhosa e desafiante que é educar uma criança!
o problema não são os psicólogos, às vezes o problema é estarem cada vez mais onde menos fazem falta!



Sofia**











setembro 02, 2018

01.09.2018

apesar de cansados, saímos de casa rumo a uma praia que gostamos muito, mas que por ficar mais longe de casa, vamos poucas vezes. Manta Rota tem muito estacionamento, é de fácil acesso e tem um areal extenso. quando chegámos a maré ainda estava vazia, com uma ondulação suave, deu para andarmos à vontade dentro de água, que era onde se estava bem com o calor que fazia.
saímos já tarde, e no regresso parámos em Santa Luzia, para comermos o tão afamado polvo. infelizmente, a fama eleva muito os preços e o querer fazer do verão o mealheiro para o inverno, leva a que muitas vezes a qualidade fique aquém do que seria de esperar. foi o que aconteceu, não viemos nada satisfeitos. preço muito elevado para pouca comida e de qualidade mediana, serviço razoável... 





mas o que foi bom mesmo foi o dia de praia. os miúdos, pelo menos os meus, são tão mais fáceis na rua, ao ar livre, tão mais felizes. não há birras, implicâncias nem chatices. é só deixá-los aproveitar! 

no caminho do restaurante até ao carro (estacionámos longe) o Duarte exigiu que decidíssemos o nome da mana! vinha a falar da bebé isto, para a bebé aquilo, quando a bebé nascer, até que se apercebeu que tínhamos que escolher o nome, não podia continuar a ser bebé!
curiosamente, a mana já teve nome. dois até. logo quando lhes contámos ambos disseram o mesmo nome para menina, assim, sem mais. mas com o passar do tempo foram colocando mais hipóteses, até porque demorou para sabermos o sexo da criança. quando finalmente soubemos, houve um nome que soou bem aos quatro e por unanimidade achamos que seria uma boa escolha mas... pareceu-nos fácil demais, decidir assim logo à primeira, e acabámos por não fechar logo o assunto. resultado, um mês depois, surgiram mais hipóteses e agora apesar da maioria concordar com o nome não há unanimidade! (risos) sendo assim vamos esperar mais uns dias... o Duarte sugeriu que esperássemos para ver a cara da mana!!? não sei se aguento...
mas é muito engraçado este processo. quando foi do Rodrigo, era só eu e o pai para escolher. do Duarte, o Rodrigo era pequenino, dizia que o mano era o Zé Rui (porque apanhou a altura do Natal, José e Maria, e Rui do pai...), mas nunca pensámos em deixar nas mãos dele a decisão. agora, embora também não deixemos a decisão para os manos (apesar das sugestões serem muito interessantes e as opiniões válidas), gostávamos que eles também gostassem do nome escolhido. enfim, acho que vamos esperar mais algum tempo para decidir o nome da bebé! :) e depois é vê-los a dizer as várias hipóteses em voz alta, a conjugar com o nome deles, a dizerem o nome completo para verem como soa. é tão giro!


então, ontem acabámos por não decidir mas com tanta "discussão" fomos ver o significado dos nomes. Houve risos e gargalhadas e alguns nomes excluídos. 
Ficam aqui algumas das hipóteses que estavam/estão em cima da mesa:


. Sofia
. Francisca
. Petra
. Diana
. Victória
. Alice
. Bárbara
. Carolina
. Júlia
. Camila



agora é ver qual reúne unanimidade... em último caso decido eu, que voto por duas! ahahah!


podem deixar sugestões se quiserem!! ;)







agosto 31, 2018

o amor em semanas...


18 semanas


22 semanas


26 semanas




não é novidade para amigos e família, ou para quem nos segue no IG, mas é novidade neste cantinho onde me habituei a escrever. incrível como ainda não tinha escrito uma linha sobre este novo amor que chega já em Novembro. Felizmente mantenho o registo fotográfico e as notas na agenda para mais tarde transformar no meu diário da gravidez. a terceira e última!

e é uma menina! ainda não decidimos o nome, ainda não preparámos nada... terceiro filho!? acho que agora com a reentré dos manos na escola vou ter mais tempo (e energia) para tratar dos pormenores de boas vindas para este bebé tão desejado!


o amor agora conta-se em semanas... e elas voam!! ;)











agosto 13, 2018

MOCHIQUE










parece mentira, mas em 11 anos a viver no Algarve talvez tenha ido a este maravilhoso pulmão verde umas duas vezes.
no feriado de 25 de Abril saímos de casa em direcção à serra, de máquina pronta e olhos bem abertos para o que nos esperava. 
verde. verde em todo o nosso redor. verde vivo, verde escuro, verde mais claro. ar límpido, puro, fresco. sem grandes objectivos passeámos pela serra, perdemo-nos nos eucaliptos, e encontrámos um riacho num local de piqueniques meio escondido. o que nos chamou a atenção foi o barulho da água a correr. voltámos ao local depois de um excelente almoço no Luar da Foia, restaurante com comida tradicional e aconchegante, e uma vista de se perder para a serra.
para a sobremesa voltámos então ao riacho. arregaçamos as calças, tirámos os sapatos e andámos por ali, só a respirar, a contemplar. eles exploraram cada canto e repetiram várias vezes que estavam a adorar, que tínhamos que ir mais a Monchique... prometemos voltar.



nos últimos dias, quando vimos pela televisão o fogo a destruir a Serra algarvia não queríamos acreditar. falar com amigos que têm familiares a viver na Vila e saber se estava tudo bem, ver a aflição das pessoas, o fogo sem dar tréguas aos bombeiros... um dia, dois dias, três dias... uma semana!! um verde que se tornou negro, a natureza com ar de destruição...


queremos Monchique novamente pintado de verde, queremos ver medidas efectivas para quem comete estes crimes, queremos ver prevenção, das gentes e das autoridades. 

Prometemos voltar!












julho 31, 2018

Duarte, 5 de Abril de 2018




caiu-lhe o primeiro dente aos cinco anos e poucos meses, tal como aconteceu com o irmão.
andava ansioso com aquele dente que abanava mas teimava em não cair, até que finalmente, com alguma pressão da sua parte, o bendito lá lhe caiu nas mãos. ficou todo vaidoso, afinal este é dos primeiros sinais de crescimento, o mano até já perdeu a conta aos dentes que lhe caíram!

depois veio o entusiasmo com a moedinha que a fada lhe iria deixar nessa noite. pedimos ao Rodrigo que deixasse o mano acreditar na magia, tal como ele acreditava quando tinha cinco anos.  pé ante pé o pai a fada deixou-lhe a moedinha e retirou o dente, mas...



no dia seguinte, quando acorda:

- Paiiiii!!! Paiiiii!
 (tudo a correr para o quarto deles)
- o que foi?
- o meu dente???!
- então? A fada levou! Não te deixou nada??
- Deixou! Uma moeda! (com um ar nada feliz) Mas eu quero o meu dente!!
- Então, mas a fada leva o dente e deixa a moedinha!
- Não! Eu quero o meu dente! Temos que dizer à fada para me devolver!
- Mas assim  vais ter que devolver a moeda!
- Está bem! Eu quero o meu dente!!



nessa noite colocou a moeda debaixo da almofada e pediu à fada que lhe devolvesse o dente... e no dia seguinte ficou todo feliz quando percebeu que a fada o tinha ouvido!


nós, fartamo-nos de rir! não sei de nenhuma história em que a criança reivindica o seu dente e rejeita a moeda! (risos) Alguma por aí??




julho 30, 2018

Rodrigo, 8 anos e uns meses





o Rodrigo é aquele filho camuflado, com ar de durão, de quem não está nem aí para mim mas que sente tudo, observa tudo a 300%. é aquele que suspira com ar de tédio durante o dia mas à noite me pede os mesmos mimos de quando tinha dois anos.
o Rodrigo tem uma maturidade que aliada à sua altura (acima da média) e ao seu sentido de humor atípico para a idade, me faz esquecer, por momentos, que tem apenas oito anos. aliado a tudo isto, é do signo gémeos, o que me faz pensar muitas vezes, que são dois em um com uma grande capacidade de se alterarem personalidades e humores quase de um momento para o outro.

radiografar-lhe as palavras e a sua personalidade ainda em construção faz-me ver o grande desafio que me saiu na primeira rifa da maternidade, e que todas as dificuldades aliadas a este desafio, juntamente com a sensibilidade deste meu filho, a sua maneira particular de ver o mundo em seu redor, os comentários, as observações, me fazem crer que será um ser humano maravilhoso.





lov-U,
mãe







4 meses e uns dias depois...

...finalmente, vejo-me novamente sentada ao teclado, pronta para actualizar este blogue!





em quase 7 anos, nunca estive tão ausente da escrita como neste período, mas foi uma pausa necessária. Houve alturas em que não vim por falta de tempo, outras por falta de inspiração ou por achar que não tinha nada de mais para dizer. ultimamente, eu própria tenho tido menos paciência para a leitura de blogues, ás vezes parece que dizem todos o mesmo (?) e não quis cair no mesmo erro. também cheguei a ponderar a fechar esta página e criar outra completamente diferente, na forma e nos conteúdos (esta última não está posta de parte). 
mas este blogue teve como propósito maior ser uma espécie de diário de bordo onde, entre outras coisas, escrevo sobre acontecimentos banais mas dignos de serem lembrados, meus e da minha família, e por isso tenho tentado registar tudo na memória e em apontamentos na agenda para que não me esqueça de datas e detalhes do tanto que se tem passado nestes últimos meses, para que agora possa partilhar e guardar para mais tarde ler(mos). escrever também faz parte de mim e tem-me feito falta!


uma grande viagem, o crescimento dos meus filhos, o meu crescimento pessoal, apontamentos do dia a dia e uma grande novidade. espero que esta silly season me sirva para vir mais aqui, escrever tudo neste meu diário e partilhar com quem nos segue e gosta de me ler... talvez numa esplanada, num areal ou numa queda d'água linda e escondida por aí!!



Até já. Volto com novidades! ;)















março 23, 2018

nós, no País e no Mundo!








Olá, olá!!

Não desapareci mas como já disse outras vezes, venho a este meu cantinho querido quando tenho tempo ou alguma coisa interessante para dizer, alguma memória para registar... ultimammente a ausência tem sido mais por falta de tempo que outra coisa, em breve actualizo as memórias todas!! (risos)

Passei para dizer também que, durante a próxima semana vamos passsear, um lugar improvável mas onde temos bons amigos! Quem adivinha??

Vamos estar mais pelo instagram, pela comodidade da coisa ;)


Boas férias (para quem tiver) Páscoa feliz e até já!!



Sofia**





Podem ver mais sobre os nossos passeios em cima TRAVEL ;)








fevereiro 26, 2018

25.02.2018



5 anos de sorrisos que iluminam, abraços que aconchegam e beijos que lambuzam. 
5 maravilhosos anos. 
Parabéns meu amor!



mãe

fevereiro 16, 2018

Carnaval










cresci numa terra em que o Carnaval é uma tradição. desde sempre, desde que me lembro que esta é uma altura em que a vila (agora cidade) se move toda em prol das fantasias, dos carros, dos grupos alegóricos e iluminação. era difícil fugir, ou pelo menos não ficar com um bichinho. desfilei vários anos na minha adolescência, em escolas de samba e carros alegóricos, passei muito frio (ah, pois é, não estamos no Rio!) mas também me diverti muito.

duas coisas distinguiam o Carnaval de Sines de todos os outros: o desfile noturno e as convidadas, sempre estrelas de novelas brasileiras. não houve Carnaval como aquele em que a Regina Duarte espalhou a sua simpatia genuína por toda a avenida. nunca vi tanta gente. acho que praticamente não houve desfile porque toda a gente (uma multidão) rodeava o carro alegórico em que seguia a Viúva Porcina! mas com o apertar do cinto e as novelas a terem menos protagonismo deixaram-se as convidadas, mas manteve-se o desfile noturno. a avenida fica toda iluminada, toda a gente se mascara, grupos mais ou menos organizados saem à rua só para se divertirem! a cidade ganha vida, luz e cor, e naquela noite a diversão é o mote!!

e nós não fomos excepção, este ano lá voltámos a mascarar-nos, desta vez uma Tribo de Índios. pais e filhos, avós e netos, todos nos divertimos, dançámos e cantámos até ao fim! este ano, embora com a febre a ameaçar e umas queixas aqui e ali, meus miúdos aguentaram-se connosco e com os amigos e divertiram-se bastante! andavam mesmo felizes pela a avenida a brincar! o Rodrigo disse-nos que foi o fim de semana mais divertido desde que se lembra de ir a Sines (desde bebé!!)
o tempo ajudou e apesar do "fresquinho" que se sentia não choveu, o que foi maravilhoso! (realmente, não era mal pensado fazerem o Carnaval no verão...)


quer gostem desta época ou não, espero que tenham gostado da minha partilha!!




Podem ver o post de Carnaval de 2017 aqui!)







Sofia**




Coimbra - Portugal dos Pequenitos

bem, se não ia a Coimbra há anos, que dizer do Portugal dos Pequenitos! Nem faço ideia que idade tinha quando lá fui, mas quando marcámos esta viagem de três dias (meio passeio, meio trabalho) decidimos que esta seria uma paragem obrigatória. 
não lhes contámos, dissemos só que iriam a um lugar onde seriam gigantes, e foi ver os olhos deles a brilhar. faziam mil perguntas, se lá havia mais gigantes, ou se entravam e cresciam tanto tanto que ficavam maiores que nós... enfim, imaginação sem limites com estes pais a darem azo a que sonhassem mais e mais.









fomos já da parte da tarde, num dia de semana, talvez por isso não estivesse muita gente e deu para andarmos à vontade. tivemos muita sorte com o tempo, frio nenhum e muito sol. que pedir mais?
mal entrámos eles começaram logo a correr para as casinhas, a inventar histórias a subir e descer de escadas minúsculas em monumentos que pareciam de verdade... mas pequeninos! meteram-se em cubículos, passaram pelas Igrejas, foram Reis em castelos, viajaram de Trás os Montes ao Algarve, e descobriram mais sobre este nosso belo País. foi giro porque brincaram mas também fizeram muitas perguntas, interessados (sobretudo o Rodrigo) sobre as diferenças culturais que existem em Portugal. e no Mundo, já que a primeira parte do parque é dedicada a colónias portuguesas, com muita história e objectos interessantes. 
das melhores coisas da maternidade é poder voltar a ser criança com eles, voltar a lugares da infância ou explorar outros, criar novas memórias, ver um pouco também com os olhos deles. muda-nos a perspectiva, e é muito bom!


Portugal é um País mesmo muito bonito. espero poder continuar a partilhar estas nossas viagens por aí, e que desse lado gostem de nos ler! ;)






Mais sobre a nossa estadia em Coimbra aqui!





Sofia**