Mostrar mensagens com a etiqueta FAMÍLIA. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta FAMÍLIA. Mostrar todas as mensagens

outubro 16, 2018

o amor em (34) semanas...

nesta altura já só olho para a meta. o cansaço apodera-se de mim, vejo e revejo o que ainda falta fazer para receber a nossa menina, para não ter muito com que me preocupar depois, no imediato, quando forem três a pedir atenção e mimo. as noites já são difíceis, a ciática dá cabo de mim, mas de resto sinto-me bem, ansiosa para conhecer a minha bebé!




é a minha terceira (e última) gravidez. tenho registo de todas. fotografias que se transformaram em álbuns, palavras que resultaram em diários. aqui e em papel, com a minha letra, com algumas frases mais que ficam só para cada um deles, um dia que as leiam.
ás vezes perguntam-me como era quando estavam na minha barriga e eu recorro ás imagens, e lembro-me de cada uma delas para lhes contar um pouco da sua história.
por isso digo: não se inibam de registar as diferentes fases da gravidez. mesmo que agora só encontrem defeitos, daqui a muitos anos vão com certeza achar que afinal estavam fantásticas e vão ter imagens bonitas para contar um pouco da história dos vossos filhos!




Sofia**






setembro 27, 2018

2016, o álbum!
















tento fazer sempre um álbum por ano, com as nossas melhores fotos, os melhores momentos, o que queremos recordar, o que não queremos mesmo esquecer. por norma, aproveito o final  do ano em que há sempre promoções e consigo fazer dois álbuns pelo preço de um.
dá-me sempre imenso gozo escolher, passear-me pelas fotos, relembrar quando e onde estivemos e a fazer o quê. por vezes, até consigo lembrar-me de alguma coisa mais caricata que tenha acontecido. 

também guardo sempre algumas páginas para fotos do Instagram, que muitas vezes traduzem momentos flash que me trazem muitas emoções. estou a terminar o álbum de 2016, um ano que não foi muito fácil, mas que teve muitos bons momentos.  escolhi estas fotos do IG, o Rodrigo com seis anos e o Duarte com três, tão pequeninos, parece que foi há uma eternidade... não deixem mesmo de passar algumas das milhares de fotos que ficam esquecidas no disco rígido para o papel. vale mesmo a pena rever as expressões, as experiências vividas, e mais que tudo, contar-lhes as histórias deles, com imagens reais!


Sofia**



P.S.: também podem querer ler alguns dos nossos posts aqui! ;)





setembro 17, 2018

o amor em (30) semanas...






"Os olhos verdes do pai, os caracóis do mano mais velho, o sorriso do mano do meio, linda como a mãe e rebelde como a Brave!"

É assim que eles vão imaginando a mana. Eu , só consigo desejar que venha perfeita e com saúde. O resto nós tratamos!













setembro 02, 2018

01.09.2018

apesar de cansados, saímos de casa rumo a uma praia que gostamos muito, mas que por ficar mais longe de casa, vamos poucas vezes. Manta Rota tem muito estacionamento, é de fácil acesso e tem um areal extenso. quando chegámos a maré ainda estava vazia, com uma ondulação suave, deu para andarmos à vontade dentro de água, que era onde se estava bem com o calor que fazia.
saímos já tarde, e no regresso parámos em Santa Luzia, para comermos o tão afamado polvo. infelizmente, a fama eleva muito os preços e o querer fazer do verão o mealheiro para o inverno, leva a que muitas vezes a qualidade fique aquém do que seria de esperar. foi o que aconteceu, não viemos nada satisfeitos. preço muito elevado para pouca comida e de qualidade mediana, serviço razoável... 





mas o que foi bom mesmo foi o dia de praia. os miúdos, pelo menos os meus, são tão mais fáceis na rua, ao ar livre, tão mais felizes. não há birras, implicâncias nem chatices. é só deixá-los aproveitar! 

no caminho do restaurante até ao carro (estacionámos longe) o Duarte exigiu que decidíssemos o nome da mana! vinha a falar da bebé isto, para a bebé aquilo, quando a bebé nascer, até que se apercebeu que tínhamos que escolher o nome, não podia continuar a ser bebé!
curiosamente, a mana já teve nome. dois até. logo quando lhes contámos ambos disseram o mesmo nome para menina, assim, sem mais. mas com o passar do tempo foram colocando mais hipóteses, até porque demorou para sabermos o sexo da criança. quando finalmente soubemos, houve um nome que soou bem aos quatro e por unanimidade achamos que seria uma boa escolha mas... pareceu-nos fácil demais, decidir assim logo à primeira, e acabámos por não fechar logo o assunto. resultado, um mês depois, surgiram mais hipóteses e agora apesar da maioria concordar com o nome não há unanimidade! (risos) sendo assim vamos esperar mais uns dias... o Duarte sugeriu que esperássemos para ver a cara da mana!!? não sei se aguento...
mas é muito engraçado este processo. quando foi do Rodrigo, era só eu e o pai para escolher. do Duarte, o Rodrigo era pequenino, dizia que o mano era o Zé Rui (porque apanhou a altura do Natal, José e Maria, e Rui do pai...), mas nunca pensámos em deixar nas mãos dele a decisão. agora, embora também não deixemos a decisão para os manos (apesar das sugestões serem muito interessantes e as opiniões válidas), gostávamos que eles também gostassem do nome escolhido. enfim, acho que vamos esperar mais algum tempo para decidir o nome da bebé! :) e depois é vê-los a dizer as várias hipóteses em voz alta, a conjugar com o nome deles, a dizerem o nome completo para verem como soa. é tão giro!


então, ontem acabámos por não decidir mas com tanta "discussão" fomos ver o significado dos nomes. Houve risos e gargalhadas e alguns nomes excluídos. 
Ficam aqui algumas das hipóteses que estavam/estão em cima da mesa:


. Sofia
. Francisca
. Petra
. Diana
. Victória
. Alice
. Bárbara
. Carolina
. Júlia
. Camila



agora é ver qual reúne unanimidade... em último caso decido eu, que voto por duas! ahahah!


podem deixar sugestões se quiserem!! ;)







agosto 31, 2018

o amor em semanas...


18 semanas


22 semanas


26 semanas




não é novidade para amigos e família, ou para quem nos segue no IG, mas é novidade neste cantinho onde me habituei a escrever. incrível como ainda não tinha escrito uma linha sobre este novo amor que chega já em Novembro. Felizmente mantenho o registo fotográfico e as notas na agenda para mais tarde transformar no meu diário da gravidez. a terceira e última!

e é uma menina! ainda não decidimos o nome, ainda não preparámos nada... terceiro filho!? acho que agora com a reentré dos manos na escola vou ter mais tempo (e energia) para tratar dos pormenores de boas vindas para este bebé tão desejado!


o amor agora conta-se em semanas... e elas voam!! ;)











julho 31, 2018

Duarte, 5 de Abril de 2018




caiu-lhe o primeiro dente aos cinco anos e poucos meses, tal como aconteceu com o irmão.
andava ansioso com aquele dente que abanava mas teimava em não cair, até que finalmente, com alguma pressão da sua parte, o bendito lá lhe caiu nas mãos. ficou todo vaidoso, afinal este é dos primeiros sinais de crescimento, o mano até já perdeu a conta aos dentes que lhe caíram!

depois veio o entusiasmo com a moedinha que a fada lhe iria deixar nessa noite. pedimos ao Rodrigo que deixasse o mano acreditar na magia, tal como ele acreditava quando tinha cinco anos.  pé ante pé o pai a fada deixou-lhe a moedinha e retirou o dente, mas...



no dia seguinte, quando acorda:

- Paiiiii!!! Paiiiii!
 (tudo a correr para o quarto deles)
- o que foi?
- o meu dente???!
- então? A fada levou! Não te deixou nada??
- Deixou! Uma moeda! (com um ar nada feliz) Mas eu quero o meu dente!!
- Então, mas a fada leva o dente e deixa a moedinha!
- Não! Eu quero o meu dente! Temos que dizer à fada para me devolver!
- Mas assim  vais ter que devolver a moeda!
- Está bem! Eu quero o meu dente!!



nessa noite colocou a moeda debaixo da almofada e pediu à fada que lhe devolvesse o dente... e no dia seguinte ficou todo feliz quando percebeu que a fada o tinha ouvido!


nós, fartamo-nos de rir! não sei de nenhuma história em que a criança reivindica o seu dente e rejeita a moeda! (risos) Alguma por aí??




julho 30, 2018

Rodrigo, 8 anos e uns meses





o Rodrigo é aquele filho camuflado, com ar de durão, de quem não está nem aí para mim mas que sente tudo, observa tudo a 300%. é aquele que suspira com ar de tédio durante o dia mas à noite me pede os mesmos mimos de quando tinha dois anos.
o Rodrigo tem uma maturidade que aliada à sua altura (acima da média) e ao seu sentido de humor atípico para a idade, me faz esquecer, por momentos, que tem apenas oito anos. aliado a tudo isto, é do signo gémeos, o que me faz pensar muitas vezes, que são dois em um com uma grande capacidade de se alterarem personalidades e humores quase de um momento para o outro.

radiografar-lhe as palavras e a sua personalidade ainda em construção faz-me ver o grande desafio que me saiu na primeira rifa da maternidade, e que todas as dificuldades aliadas a este desafio, juntamente com a sensibilidade deste meu filho, a sua maneira particular de ver o mundo em seu redor, os comentários, as observações, me fazem crer que será um ser humano maravilhoso.





lov-U,
mãe







fevereiro 26, 2018

25.02.2018



5 anos de sorrisos que iluminam, abraços que aconchegam e beijos que lambuzam. 
5 maravilhosos anos. 
Parabéns meu amor!



mãe

fevereiro 16, 2018

Carnaval










cresci numa terra em que o Carnaval é uma tradição. desde sempre, desde que me lembro que esta é uma altura em que a vila (agora cidade) se move toda em prol das fantasias, dos carros, dos grupos alegóricos e iluminação. era difícil fugir, ou pelo menos não ficar com um bichinho. desfilei vários anos na minha adolescência, em escolas de samba e carros alegóricos, passei muito frio (ah, pois é, não estamos no Rio!) mas também me diverti muito.

duas coisas distinguiam o Carnaval de Sines de todos os outros: o desfile noturno e as convidadas, sempre estrelas de novelas brasileiras. não houve Carnaval como aquele em que a Regina Duarte espalhou a sua simpatia genuína por toda a avenida. nunca vi tanta gente. acho que praticamente não houve desfile porque toda a gente (uma multidão) rodeava o carro alegórico em que seguia a Viúva Porcina! mas com o apertar do cinto e as novelas a terem menos protagonismo deixaram-se as convidadas, mas manteve-se o desfile noturno. a avenida fica toda iluminada, toda a gente se mascara, grupos mais ou menos organizados saem à rua só para se divertirem! a cidade ganha vida, luz e cor, e naquela noite a diversão é o mote!!

e nós não fomos excepção, este ano lá voltámos a mascarar-nos, desta vez uma Tribo de Índios. pais e filhos, avós e netos, todos nos divertimos, dançámos e cantámos até ao fim! este ano, embora com a febre a ameaçar e umas queixas aqui e ali, meus miúdos aguentaram-se connosco e com os amigos e divertiram-se bastante! andavam mesmo felizes pela a avenida a brincar! o Rodrigo disse-nos que foi o fim de semana mais divertido desde que se lembra de ir a Sines (desde bebé!!)
o tempo ajudou e apesar do "fresquinho" que se sentia não choveu, o que foi maravilhoso! (realmente, não era mal pensado fazerem o Carnaval no verão...)


quer gostem desta época ou não, espero que tenham gostado da minha partilha!!




Podem ver o post de Carnaval de 2017 aqui!)







Sofia**




janeiro 29, 2018

Duarte,






falta pouco mais de um mês para fazer cinco anos. cinco anos, tão crescido. 
a minha relação com o Duarte é fácil. e difícil. e assim assim. tem dias. 
a nossa relação mãe-filho está a desabrochar, começamos a entender-nos verdadeiramente, a saber onde é o lugar de um e do outro. o Duarte é de fazer valer o seu ponto de vista, sabe o que quer, quando quer, e nem sempre é fácil aceitar isso no meio das rotinas, das pressas, das vontades do mano e das nossas também. faz birras, já fez mais. o Duarte veio ensinar-me a negociar, a conversar, a respirar no meio das crises de crescimento. 
mas é fácil. ele chega e diz que não gostou da maneira como lhe falei, que está triste porque não lhe dei atenção ou que está zangado porque lhe levantei a voz. e aí conversamos, olhos nos olhos, à mesma altura. é fácil porque ele chega e abraça, do nada, vem e dá-me um beijo na testa quando estou deitada, e abraça-me mais uma vez, e todas as que achar que deve, que quer abraçar. pede desculpa, diz-me lov-u, mamã! num tom doceee... o Duarte sorri com a cara toda e quando sorri ilumina qualquer sala, ilumina o meu olhar.  
faltam poucas semanas para completar cinco anos e, ontem, pela primeira vez, escolheu o seu corte de cabelo, curtinho curtinho, como que a dizer que as sombras de bebé que ainda habitam nele estão a ir em embora, aos poucos, vão desaparecendo, dando lugar a um rapazinho. custa, custa um bocadinho.
e é nesta ambivalência da maternidade, entre a felicidade de ver os meus filhos crescerem e a nostálgia de os querer para sempre bebés, que escrevo estas linhas e tento não esquecer o sorriso que ele tinha em frente ao espelho enquanto os cabelos desapareciam à velocidade de umas tesouradas.
quase cinco anos. 




lov-u Duarte,

mãe





janeiro 26, 2018

viagens em família - o que funciona para nós







viajar em família está a tornar-se cada vez mais giro. á medida que eles vão ficando mais velhos vão tendo mais curiosidade acerca dos sítios para onde vamos, o que vão ver de novo e onde vão ficar. fazemos jogos de adivinhas, tentamos que descubram o destino (por norma fazemos surpresa) ou cantamos algumas músicas, e desta vez até jogámos ao jogo da forca, sem papel! 
claro que há sempre alguma impaciência com as horas que passam no carro, se ainda falta muito, alguns desentendimentos, o da praxe, mas noto que estão a ficar cada vez mais tolerantes e entusiasmados com as nossas #roadtrips.

desta vez juntámos o útil ao agradável e escapámos até Coimbra! 
avisámos logo os miúdos que a viagem era um pouco longa, quatro horas. o Rodrigo já tem relógio e alguma noção do tempo, o que não o torna necessariamente mais paciente mas ajuda-o a mentalizar-se com a "perda de tempo" que é para ele estar parado no carro! saímos à noite, a seguir ao jantar e, depois de alguns jogos, curiosamente eles até dormiram um pouco. não é costume. foi uma viagem tranquila e quando eles abriram os olhos novamente já estávamos à porta do hotel (aka alojamento local).
levamos sempre água para bebermos no caminho, embora seja um pouco controlado para não corrermos o risco de estarmos sempre a parar para o xixi! agora que já são maiores, e não há tanto risco de se engasgarem ou de sujarem imenso o carro que anda sempre imaculado... (só que não!!), levamos também algumas bolachas ou fruta (maçã, pera, bananas) para saciarem a vontade de comer, nestas viagens um pouco maiores.
antes de sairmos lembramos que escolham alguns brinquedos, poucos e de preferência pequenos, para poderem brincar durante a viagem. ou brincam os dois ou pelo menos o Duarte entretem-se muito sozinho a inventar inúmeras aventuras para os seus bonecos. é certo que por vezes se desentendem, o melhor é sempre o que o outro tem, e por norma a regra é "ou se entendem ou ficam sem nenhum". costuma resultar, mas também já aconteceu ficarem sem nenhum e passados alguns minutos eram os melhores amigos outra vez. 

como estávamos perto de Viseu, onde tenho família, aproveitei para ir fazer umas visitas, e como íamos só os três e era de dia, dei-lhes os tablets para se entreterem, e deu jeito porque assim pude concentrar-me quase exclusivamente na conversa que ia tendo com o GPS. (a sério, ás vezes acho que só atrapalha! não acham?!). pelo meio, tentei que olhassem pela janela para verem a beleza (mas também a tristeza) da paisagem. todos assistimos ao horror que os incêndios provocaram no nosso País, mas ver in loco é ainda mais angustiante. a paisagem era completamente castanha e negra com alguns pontos verdes, muito poucos. acho importante que eles vão tendo noção destas realidades, do que veem e do que ouvem na televisão e que façam a ligação à realidade, mas sem alarmar nem assustar. o menos bonito, o mal, o lado negro também existe, há que saber isso...

esta é a nossa forma de viajar com os pequenos, gostava que partilhassem algumas dicas também, se quiserem.


o fim de semana foi muito muito bom e conto mostrar tudo aqui em breve!!




até já!
Sofia** 











janeiro 02, 2018

Bom ano! Feliz 2018!


Não passo por cá desde que vos deixei as dicas para as prendas de Natal dos miúdos. Não é por mal, mas o Instagram está mais a jeito, tento passar menos tempo no computador (que é onde me dá mais jeito escrever), os pequenos estiveram de férias e tirámos tempo para eles, família e amigos. O desapego foi tanto que me esqueci de pagar a conta da água e de ir ao banco cancelar um cartão... OMG!
Mas cá estamos em 2018, depois de um Natal de mesa cheia e visitas aos mais chegados, uma passagem de ano com direito à companhia de amigos e um fogo de artificio lindo, não nos podemos queixar.





Para quem passa pelo nosso IG, percebeu que recebi uns patins pelo Natal. Em miúda andei na patinagem e adorava, e desde que me lembro que sigo (e sonho) com os campeonatos de patinagem no gelo. A leveza com que elas dançam e rodopiam em cima de lâminas sempre me fascinou. Este ano, o Rodrigo começou a ter patinagem na escola e também adora - este meu filho é uma espécie de Ás em tudo o que mete rodas - e eu comecei a alimentar o bichinho de experimentar também! Ultimamente tenho vontade de me desafiar, conquistar novas competências em diferentes áreas, e manter-me activa e em forma, é uma delas. Não tem que ser nada competitivo com outros, basta que seja comigo! 
E eis que o pai Natal das crianças me surpreendeu com este presente! Ontem, dia 1, lá fomos experimentar e nem vos conto, achei que o melhor era devolver os patins. Aquilo rolava sem eu querer, tomava balançou de uma forma quase incontrolável, e eu achei que o melhor era não largar nunca o meu apoio (ele!). Entre dicas do mais velho e treinos de equilíbrio na relva - um truque para treinar e que também dá para a bicicleta - lá arrisquei a patinar na pista! E voilá, consegui!!

A sensação de alcançar algo que desejamos é indescritível, não é? É tão bom quando conseguimos fazer algo que desejamos muito! E era isto que eu sonhava quando fechava os olhos, via-me a deslizar sobre rodas, num misto de liberdade e equilíbrio que só se consegue em momentos únicos! Claro que preciso de muito treino, melhorar a postura, praticar as viragens (sobretudo quando surgem obstáculos) mas acho que para primeira vez, depois de muitos anos, está bem bom!



E você, que desafios se propuseram para este novo ano? Novas aprendizagens, novos lugares para conhecer, que mudanças querem conquistar?

Independentemente do que desejam, espero que tenham muita saúde e amor, tudo o resto vem por acréscimo!




Um excelente 2018 para todos os que me lêem e obrigada pelas mensagens simpáticas!!!


Sofia**






setembro 13, 2017

ser mãe com mas...





gostamos de os ver pequeninos, de lhes vestir aqueles babygrows minúsculos, os coeiros, as fraldas de boneco, mas... corremos de mês a mês para o pediatra para ver se está a crescer bem, se está grande, gordinho, saudável como se quer.

queremos tê-los para sempre ao nosso colo, naquela fase amorosa em que cheiram a bebé e se deixam ficar enquanto olhamos para eles embevecidas com tamanha sorte, mas... ficamos ansiosas por ver quando começam a gatinhar, a dar os primeiros passos, quando vão conseguir abrir uma gaveta!

amamentamos, damos biberão, mas... desejamos que chegue o dia da primeira sopa, para perceber se vão ser uns comilões ou se será uma carga de trabalhos a cada refeição.

escolhemos a melhor creche / jardim de infância, aquela onde vão passar os primeiros anos da sua vida, o sitio mais acolhedor, com as educadoras mais queridas, compramos a mochila mais gira, mas... ninguém nos tira um certo aperto no coração quando os deixamos pela primeira vez. 

rimos quando dizem aquelas palavras atabalhoadas, quando fazem frases com palavras que não têm sentido mas... lá estamos nós a corrigir para que falem correcto e não passem vergonha mais tarde.

abrimos bem as asas, invisíveis que temos, queremos protegê-los de tudo e todos, mas... educamo-los para serem auto-suficientes, independentes, seguros de si. não queremos que tenham medos, queremos que sonhem e voem, bem alto.

compramos os livros, pedimos a opinião deles sobre o estojo, a mochila, o dossier. esperamos nós e eles também, que fiquem numa escola tranquila, na turma com alguns amigos e uma professora que os entenda na sua individualidade, mas... ninguém segura uma lagriminha no primeiro dia no 1º ciclo. a deles e a nossa.

tentamos perceber sempre qual é a próxima fase, antecipamos, fazemos planos, mas depois vemos fotografias de há dois ou três Verões atrás e ficamos... mas, ele era assim?! como é que cresceu tanto?? achamos que o tempo demora a passar mas cedo percebemos que isto passa tão rápido!!


a ambivalência inerente à maternidade existe e escreve-se em todas as línguas, vive-se em todas as culturas, em todo o mundo. a vontade de ter tempo para se ser mulher aliada à culpa de se tirar minutos às horas que também são dos filhos. o desejo de que corra tudo bem a par da dificuldade em respirar perante um sonho, um susto, uma visão apenas de que algo lhes aconteça...
a educação e o exemplo que lhes passamos no sentido de querermos que atinjam as suas conquistas com a torcida sofrida (mas escondida) na esperança que tudo lhes corra bem. 

hoje lá foram, milhares de meninos e meninas retomaram as aulas. alguns entraram pela primeira vez numa escola primária. há um ano atrás, já passou um ano, era eu a entregar o meu filhote numa escola completamente nova, professora desconhecida e apenas um amigo na turma. escondi uma lágrima, ele não. abraçou-se muito a mim, respirei fundo e ensinei-lhe uns truques naquela primeira semana, mas a minha vontade mesmo era trazê-lo para casa e ficar a mimá-lo enquanto ele quisesse. correu bem, muito bem, e hoje lá foi ele todo confiante para o 2º ano!!


um xi-coração a todos os meninos e meninas, esses corajosos, que hoje começam um novo ano lectivo.
e às mães, a todas, que na sua ambivalência fazem o melhor que podem dando tudo o que têm! eu sei que dói, mas vai passar!




Bom ano a todos!!!




Sofia**







setembro 06, 2017

e para acampar, o que é preciso?!

o lado mais positivo de acampar é mesmo o fugir à rotina e estarmos mais perto da natureza. dormir num colchão de ar, separados do exterior apenas por uma lona, poder ouvir o mar, o vento, a chuva (aconteceu, mas sem frio!), o barulho dos esquilos nas árvores é uma lufada de ar fresco, uma perspectiva completamente diferente da que temos quando vamos para um quarto de hotel!


mas acampar não tem que ser sinónimo de desconforto, pelo contrário. há imensos acessórios que nos facilitam a vida e que até podem tornar o campismo cheio de estilo, o nosso estilo! 

Então, o que é essencial para acampar?

. como contei anteriormente (aqui e aqui) coube-lhe a ele pesquisar a tenda!
a Queshua tem agora umas tendas insufláveis e com um sistema fresh & black que permite três coisas: 
- rapidez, a montar e desmontar (posso dizer que o primeiro espaço em que ficámos não nos agradou e dois dias depois, em apenas duas horas, mudámos a nossa "casa" de lugar!)
- e é escura por dentro, o que permite dormir melhor quando amanhece, e torna a tenda mais fresca!




depois é procurar o modelo que melhor se adequa a cada família! a nossa tenda tem dois quartos e uma sala no meio, que usávamos para ter a roupa e nos vestirmos. o facto de ser escura por dentro realmente ajuda a dormirmos melhor quando amanhece. quem já acampou sabe que o sol invade as tendas muito cedo e pode incomodar! 
convém comprar uma bomba (na Decathlon sabem aconselhar) e num instante enchemos a tenda, para vazar é só abrir as válvulas. é óptimo! 

. lona para colocar debaixo da tenda, assim não se suja tanto!

. importante também são os colchões. hoje em dia há várias hipóteses, nós optámos por estes (um para nós e outro para os miúdos) e estamos satisfeitos. Também têm um sistema que torna fácil e rápido encher ou arrumar!


. apesar de irmos para um sitio quente, à noite arrefece sempre um pouco, os miúdos destapam-se e os sacos cama são óptimos para que estejam confortáveis. além disso, é espaço que poupamos para não levarmos lençóis e cobertores!


. desculpem alongar-me com os acessórios para dormir, mas para mim é realmente importante. 
uma coisa que nos faltou o ano passado foram as almofadas e fez imensa diferença. há daquelas insufláveis que são boas para pouparmos espaço na hora de arrumar as coisas no carro, mas não eram o ideal para nós. assim, optámos por comprar estas no IKEA e cumpriram muito bem. além disso, serviram de conforto na viagem para os miúdos se encostarem!


. uma lanterna também dá sempre jeito. uma para estar na tenda e termos luz e outra para quando quisermos andar pelo parque. (neste caso o parque tinha iluminação suficiente, sem ser em excesso).

. neste caso a electricidade está incluída, o ideal é levar uma extensão - nós comprámos lá!



Isto foi o essencial, o que levámos. temos um problema de falta de espaço no carro que não nos permitiu levar muito mais - duas malas de roupa, duas pranchas, saco de praia, material de campismo... -  além disso, planeámos fazer as refeições sempre fora (algo mais leve ao almoço, mais composto ao jantar). mas numa próxima vez, gostávamos de fazer a coisa mais a sério e incluir refeições na tenda! faltou-nos essa parte que permite um maior convívio, entre nós e com outros campistas!


o que nos falta?


. uma lona, para fazer de "chão" e podermos andar à vontade sem sujar os pés;

. mesa e cadeiras (algumas opções aqui)



neste parque em particular não havia nenhuma zona comum onde pudéssemos grelhar (em Cabanas de Tavira tem, e é muito bom), o que dá jeito para quem não quer levar grelhador. mas, por outro lado, reparámos que alugam frigoríficos, o que é bom, sobretudo para quem fica muito tempo.

também não tivemos problemas com nenhum tipo de bichos da natureza (formigas, mosquitos...) o parque é impecavelmente limpo e os campistas cuidadosos!


e depois há o conforto, fazer da nossa tenda uma casa...

notas:

- levar cama de rede...

- um toldo... 
- cadeirões (insufláveis)...
- jogos para entreter...
- luzinhas para enfeitar...



achei tão giro o pormenor de haver muitas tendas enfeitadas. não tirei mais fotos porque podiam achar estranho!! :)




espero ter ajudado quem me pediu dicas sobre o campismo. estejam à vontade para partilhar o que acharem útil!










obrigada por estarem desse lado!



Sofia**



Costa Dourada - Montroig *

a viagem não foi sempre fácil, sobretudo a primeira parte. é difícil para nós adultos que dirá para crianças. mas olhando para trás até correu bastante bem e quando chegámos ao destino... esquecemos tudo!






Por norma, estava sol de manhã e à tarde ficava encoberto, mas sempre com calor, uma temperatura bastante agradável.















O Playa Montroig Camping Resort, é como o próprio nome indica, um resort para campistas. 
Fica situado no mediterrâneo, a cerca de 130 km a sul de Barcelona, o que para nós ainda o tornou mais atractivo. Quando entrámos, pudemos logo reparar no aspecto cuidado das flores, na intensa vegetação, sobretudo palmeiras, e nas piscinas com escorregas. os miúdos ficaram malucos e nos primeiros dois dias não os conseguimos tirar de lá!
é possível passar umas férias sem sairmos de lá dadas as condições: tem supermercado, loja e restaurantes e spa. tem um sport center que organiza aulas de todo o tipo, desde volley de praia, pilates, aulas de zumba ou body combat e dança na piscina. há animação todos os dias e noites com peças de teatro da Disney, espectáculos de magia, filmes ao ar livre e até festas da espuma! 

o parque está completamente pensado para famílias com crianças e tem um clube infantil que organiza também actividades paras miúdos a partir dos quatro anos. os balneários, impecáveis em qualquer hora do dia, têm inclusive banheiras para dar banho a bebés! e eram muitos por lá!   


mas para mim, o ponto alto foi o acesso directo à praia, ter a tenda montada a escassos metros do mar fazer um jantar na areia e poder adormecer e acordar a ouvir as ondas. o clima tropical, quente mas nublado por vezes, a água azul turqueza sempre a convidar a entrar, a beleza natural circundante e os habitantes que nos visitavam. sim, vimos muitos esquilos e espécies de pássaros mais exóticas. (in)felizmente, com a excitação dos meus filhos, não consegui fotografar nenhum, mas posso assegurar que eram lindos!
outra coisa que me chamou a atenção foi o cuidado dos espaços individuais. pequenas tendas, tendas maiores, caravanas ou auto caravanas, mais ou menos luxuosas, todas estavam devidamente decoradas quer fosse com flores, lanternas ou luzinhas. (mostrei algumas no stories!), o que dava um toque ainda mais acolhedor nos passeios que fazíamos pelo parque.



sem dúvida que a viagem valeu a pena e nos mostrou outro tipo de campismo, muito apelativo e que dá vontade de voltar! O Playa Camping Resort ficará no nosso mapa de regressos, sem dúvida!







Espero que estejam a gostar desta viagem! (podem ver mais aqui!)
Em breve há mais...





* as fotos não estão editadas... estava com pressa para vos mostrar! ;)






Sofia**










setembro 05, 2017

family road trip!

quando namorávamos, uma tenda pequena e pequenos tours pelo sul de Espanha fizeram as nossas férias em dois verões intercalados. Conil de la Frontera, Gibraltar e Puerto Banus são alguns dos locais de onde guardamos boas memórias. 
no ano passado, praticamente não tivemos férias e achámos que era giro irmos acampar com os miúdos, mesmo que fosse perto de casa. e foi o que fizemos. três dias em Cabanas de Tavira. um parque limpo, organizado, com piscina e espaço para refeições. sem grandes confusões explorámos as praias ali perto e gostámos muito do "lá fora cá dentro".

este ano foram os miúdos que falaram em irmos acampar. sinceramente não estava com grande vontade, mas fiquei em minoria cá em casa contra três "rapazes" a pedirem férias numa tenda. ele ficou todo entusiasmado e foi logo pesquisar A tenda, prática, que não levasse muito tempo a montar/desmontar, que fosse confortável... e eu sempre a torcer para que a pesquisa não desse em nada...

quando percebi que não havia volta a dar e uma vez que ainda não tínhamos definido destino, resolvi por mãos à obra, porque já que era para acampar então que fosse em bom!
descobri um camping através do facebook e fiquei logo rendida pelas fotos das piscinas, balneários cuidados e bonitos (!!), espaços verdes, muita vegetação e o melhor: acesso directo à praia.
depois de lhe mostrar e concordarmos que era ali que seriam as nossas férias, resolvemos ver no mapa onde ficava aquele pedaço de céu e... tivemos uma surpresa!









12 horas de viagem separavam-nos deste camping resort que ficava apenas a 130 km de Barcelona!
quem tem filhos pequenos sabe como podem ser penosas as viagens de carro, certo? os nossos, ao fim de 15 minutos já estão a perguntar se falta muito para chegar! conseguem imaginar? Mas nesta altura já estávamos demasiados envolvidos com o espaço, eu quase deprimia só de pensar em acampar num sitio com duches frios, balneários sujos e longe da praia (infelizmente, ainda há muitos assim) e das pesquisas que fiz, depois disto, nada me parecia bem!


ponderámos ir pelo sul de Espanha e acampar a meio do caminho, quem sabe ainda fazer uma paragem em Gibraltar (acho que os miúdos iam gostar), pensámos fazer a viagem directo durante a noite, durante o dia... mas todas as hipóteses nos pareciam cansativas e mais dispendiosas. até que ponderámos não ir... masem boa hora, decidimos mesmo avançar!
a solução foi ver no google maps uma cidade que ficasse a meio caminho e procurar no Booking um hotel jeitoso e não muito caro que desse para os quatro. E foi assim que descobrimos Tomelosso, capital do vinho!





perto da auto estrada, mas já na cidade, um pequeno hotel com uma pequena piscina. impecável! a ideia era chegar, mergulhar e dormir, mas logo naquele dia iniciavam-se as festas da cidade e claro, tivemos que ir ver a fiesta e o fogo de artificio! os miúdos acharam que ali era o local ideal para ficarmos de férias (poupavam horas de carro!) nem eles sabiam....





(em breve conto e mostro mais sobre o maravilhoso camping!!)





Sofia**





mais posts sobre férias que vos podem interessar aqui ! ;)